Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2009

Desfolhar [do verde ao amarelo. irreversível]

Jorge Soares

 
 

Sou folha. Sou livro. Agitação na desordem da flor. Sou enigma debulhado na ignorância do rodapé. Nem reparaste que o capítulo se exprimia na cabeça da folha. Abundantemente. Numa narrativa fechada.

 

Sou folha dourada. Sou gente. Desmaiada na verticalidade da árvore. Inebriaste-te no carmesim das pétalas. Bebeste a seiva liquefeita. Na totalidade da flor.

 

Sou folha. Sou rasto. Nos cardos campesinos. No orvalho que os descansa. Ali. Na fragilidade dos acúleos.

 

Sou folha. Sou eu. Na verde vertigem amarelada dos nossos corpos. Sou vento. Sou cabelo despenteado na impiedade da memória. No derramamento da luz.

 

 


7 comentários:
De Jorge Soares a 4 de Dezembro de 2009 às 19:31
Olá


Hummmm agora, se isto não for gripe A, vou ter ir apanhar mais folhas... porque este texto merece ser reoubado


Beijinho e bom fim de semana
Jorge


De Emilia a 6 de Dezembro de 2009 às 12:06

És também cepticismo velado nas entrelinhas do que és, muito mais do que dizes ser...
Gosto sempre de te ler e... entender?.
Beijo
Emília


De Graça a 6 de Dezembro de 2009 às 13:20
Às vezes, também gostava de me escrever assim. Ser folha de um livro de múltiplas interpretações. 
Linda, a foto do Jorge.




Beijo imenso de carinho, querida Paola


De umbreveolhar a 13 de Dezembro de 2009 às 18:11
Olá Amiga Paola,
Ao menos vais escrevendo, como sempre lindos textos, algo subjectivos, ou não, mas é essa a minha consolação de os ler.
Cumprimentos e volta logo que possas,
Carlos Alberto Borges


De umbreveolhar a 21 de Dezembro de 2009 às 16:42
Olá estimada amiga Paola,
Não tenho por hábito lamentar-me. Porém o facto de hoje ter entrado de férias, noto uma grande diferença de tempo, permitindo-me de acordo com o meu desejo ,ver e analisar os teus óptimos posts que apenas  os observo duma forma fugaz no meu perfil, sempre que posso.
Por isso, não me abstraindo do bom conteúdo dos teus posts, venho aqui expressar no teu "cantinho" o desejo que continues com aquela vivacidade e força  que te é característica, desejando-te um óptimo  Natal com muita harmonia e paz.
Podes contar sempre com este Amigo que muito aprecia a forma de te expressares e cuja Amizade é recíproca.
Desejo-te um Feliz Natal e que o Novo Ano te traga a concretização de todos os teus desejos.
Cumprimentos do Amigo,
Carlos Alberto Borges


De jabeiteslp a 24 de Dezembro de 2009 às 10:18
um bom Natal de preferencia feliz

miminho
http://videos.sapo.pt/O2AGSg4CB3jm7azaYza6


De jabeiteslp a 26 de Dezembro de 2009 às 22:26
e mais um miminho...

beijinhos
e um feliz bom ano


Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape "Douce l'éternité qui coule des fontaines/ Au printemps quand le vent dissipe les brouillards/ Douce la porte ouverte à l'ombre du grand chêne/ Et douce son odeur dans la soie d'un foulard."

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Locations of visitors to this page

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Bela e feliz noite de Natal Bonita
Pena que um piropo teu...não seja um bom diaaqui ...