Terça-feira, 5 de Maio de 2009

irrepetir

há instantes que são ventos na irrepetibilidade do sopro

 

 

 

 

 

Quando olho pela janela, vejo flores. E muitos  barcos... Às vezes, perco-me na imensidão do espaço, no comprimento do tempo... e penso. Penso nas paisagens que tive e sinto saudade. A minha cabeça enche-se de nostalgia...  porque são momentos irrepetíveis.  Com acordes melodiosos, a  minha memória  seduz esse olhar...

 

 

                                               [Caspar David Friedrich, Femme à  la fenêtre]

 


11 comentários:
De jabeiteslp a 4 de Maio de 2009 às 21:52

e são bonitas
todas as flores da tua memória
todas seduzidas de um teu olhar
todas no melodioso de um reencontrar...
sempre que ao recordar

e até vejo sorrisos de rostos
gargalhadas e corridas no seio do seu nectar...

beijinho
são bonitas as tuas flores





De Paola a 4 de Maio de 2009 às 21:56
Meu amigo, as memórias de cada um são sempre admiráveis. Por serem memórias, por nos consolidarem... umas são flores outras talvez não... sempre momentos que não se repetem mais... e tanto que gostaríamos de reviver alguns... é assim a vida.

Beijinhos


De jabeiteslp a 4 de Maio de 2009 às 22:30

beijinho
uma boa semana feliz


De GMV a 4 de Maio de 2009 às 22:15
A beleza de alguns momentos está também no facto de serem irrepetíveis... por isso, inesquecíveis. Guardam-se no olhar da memória...


Um beijo florido


De Paola a 4 de Maio de 2009 às 22:24
Diria de todos... porque nos fazemos no tudo que nos acontece... a seara não perde a beleza por causa do joio...

Beijo abraçado


De Nilson Barcelli a 5 de Maio de 2009 às 19:04
No fundo, tudo é irrepetível.
Mas eu às vezes repito... quando a comida é boa não resisto e repito...
Eu, quando vejo flores não vejo barcos... e vice-versa... por isso, tu és uma sortuda... para além disso escreves sempre textos interessantes.
Boa semana, beijos.


De Paola a 5 de Maio de 2009 às 20:07
Tal como tu, também repito algumas coisas... mas sempre que o faço já não são o mesmo! Nada se repete. É a lei da natureza.Quando olho para longe, vejo tudo, mesmo o que já não existe... a beleza de momentos (flores), o rio (os barcos), a evasão... Nos meus escritos, Nilson, eu não sou eu...

Beijinhos e boa semana também para ti.


De Jorge Soares a 5 de Maio de 2009 às 21:46
Se há coisa que não nos tiram é o que já vivemos... somos o que vivemos... o bom e o mau... depois fica a nostalgia..e a saudade....

É a vida amiga

Jorge


De Paola a 5 de Maio de 2009 às 21:55
Nem mais, meu amigo. E cada momento vivido é irrepetível... nenhum conseguimos "dobrar"... Por vezes, pensamos que sim, ma sé pura ilusão...

Beijinhos


De Rosa Maria a 8 de Maio de 2009 às 02:50
irrepetíveis são as ondas do mar ....não me canso de olhar para elas!


De Paola a 8 de Maio de 2009 às 08:57
Lembrei-me de Raul Brandão que escreveu que "o mar é um espectáculo sempre igual, mas sempre renovado"... e tanto que eu gosto de ver o mar...

Beijinhos


Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape "Douce l'éternité qui coule des fontaines/ Au printemps quand le vent dissipe les brouillards/ Douce la porte ouverte à l'ombre du grand chêne/ Et douce son odeur dans la soie d'un foulard."

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Locations of visitors to this page

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Bela e feliz noite de Natal Bonita
Pena que um piropo teu...não seja um bom diaaqui ...