Sábado, 27 de Junho de 2009

comer [migalhas que desabaram no chão]

 

Cascais

 

Desamparada, a mesa saboreia restos de tudo. Sorve, em inquietos copos do nada, sobras de vinhos espumantes. Deleita-se nos corpos distantes, remotamente saciados. Farta-se com os arautos de migalhas que se viram para o chão.

 

Satisfaz-se nas sobras de nós. No dia em que não chegámos.

 

 


11 comentários:
De jabeiteslp a 27 de Junho de 2009 às 18:05

"farta-se com os arautos de migalhas
no dia em que não chegámos.."

profundo

beijinho
feliz fim de semana


De Paola a 27 de Junho de 2009 às 18:10
Se calhar é...

Bom fim de semana.

Beijinho


De jabeiteslp a 27 de Junho de 2009 às 21:37



De Graça a 27 de Junho de 2009 às 20:59
Gostei particularmente dos verbos que vestiram essa mesa... há outros dias para chegar.


Bom resto de sábado, amiga minha e obrigada pela lembrança, lá no outro sítio.

Beijos muito meus


De Paola a 27 de Junho de 2009 às 21:06
Há mesas com lautos manjares... perdidos nas iguarias... gastos no exagero da refeição... Há mesas que morrem à fome... Há mesas alimentadas a migalhas... Os pombos agradecem...

Beijo abraçado.


De Susana Falhas a 29 de Junho de 2009 às 16:10
Boa tarde, em nome da organização de blogagem colectiva Aldeia da Minha Vida, quero agradecer a sua participação, na qualidade de leitor(a) e eleitor(a) pelo seu contributo para o sucesso da mesma.
Dia 30 de Junho serão publicados os resultados.
Susana Falhas
www.aldeiadaminhavida.blogspot.com


De Paola a 29 de Junho de 2009 às 21:58
Susana, foi um prazer participar numa iniciativa tão interessante e acompanhar os "amigos" que participaram.

Obrigada.


De Nilson Barcelli a 29 de Junho de 2009 às 18:26
Diz-me como é a tua mesa e dir-te-ei quem és...
Belo texto, gostei.
Boa semana querida amiga, beijo.


De Paola a 29 de Junho de 2009 às 22:00
A minha mesa, meu amigo, tem dias... ora farta... ora minguada de sabores... outras, lá se vai arranjando... É como eu. tem dias...

Boa semana.
Beijo terno.


De Alexandra a 29 de Junho de 2009 às 18:36
Mais uma paisagem belissimamente pintada que aqui nos deixas... tinha saudades de aqui vir!
Agora que calmamente regresso, virei mais vezes saborear os teus textos que admiro!

Beijinho,

Alexandra


De Paola a 29 de Junho de 2009 às 22:01
Tão contente que eu fico com o teu "regresso", minha doce amiga.

Beijinhos.


Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape "Douce l'éternité qui coule des fontaines/ Au printemps quand le vent dissipe les brouillards/ Douce la porte ouverte à l'ombre du grand chêne/ Et douce son odeur dans la soie d'un foulard."

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Locations of visitors to this page

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


blogs SAPO

últimos comentários

A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Bela e feliz noite de Natal Bonita
Pena que um piropo teu...não seja um bom diaaqui ...