Segunda-feira, 5 de Maio de 2008

pelas margaridas amarelas - aromas e cores

margaridaspelas margaridas amarelas - aromas suaves 

 

A admiração é o espanto da alma e do corpo. Um não sei quê que nos faz tentar perceber o que nos cerca. Admirar é agir. Problematizar, por isso descobrir, conhecer. Romper com as evidências.

Admiramos as montanhas, os rios, as flores, os risos das crianças ... Abrimos a boca de espanto junto à s Pirâmides do Egipto e lamentamos os acidentes de viação na A25. Cantamos a Canção do Mar junto à Torre de Belém e calamos as afrontas aos professores. Sentimos remorsos por não termos ido à praia no fim-de-semana e passamos a tarde num centro comercial. Emocionamo-nos com um poema e choramos a violência doméstica que faz manchete no jornais. Duvidamos da capacidade da ciência para descobrir a cura para o cancro e celebramos a vida. Irritamo-nos com a chuva e deleitamo-nos com um passeio à beira-mar. Vociferamos contra a gaivota que poisa no parapeito da janela e enclausuramos canários na gaiola. Maravilhamo-nos com a nossa língua e escrevemos com erros ortográficos. Transpiramos com o calor e coleccionamos postais com o pôr-do-Sol.

Olhamos.Tacteamos. Saboreamos. Ouvimos. Cheiramos. Mas também rimos e choramos. Por causas dos sentidos.

A admiração não se procura, acontece. Assim, devagarinho perante o estranho, o admirável. É ver, é olhar coisas simples. Eu ainda me admiro com banalidades.

Por tudo isto, ou mesmo por nada disto, hoje admirei-me com a beleza das margaridas  amarelas. Muitas, de mão-dada numa terra de ninguém.
Colhi um raminho, pequenino e coloquei-o na minha cozinha na esperança que ela ficasse amarela também. Puro engano! Que imprudência inútil!

A admiração não se corta pela raiz!

Estou: Admirada!

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

Gostaria de saber se vcs mandar mudas de margarida...
A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Em destaque no SAPO Blogs
pub