Domingo, 11 de Maio de 2008

pelas memórias - pour toutatis

t Por formação, e por opção, sou mais dada às línguas românicas. Há muito tempo que Obélix entrou na minha vida. Trouxe amigos, também. E Gérard Depardieu. À universalidade da língua inglesa, muito pela potência do dólar e do petróleo, contraponho a cultura, o humanismo, a arte, a música, a história, o latim como berço civilizacional. Quem sabe se com tanta globalização, não voltaremos a falar uma língua só. Na busca do entendimento perdido. Hoje, abro uma excepção. Excepcionalmente! Só porque me lembrei do mundo, de uma terra e particularmente de uma pessoa. Com ela partilhei emoções, conhecimento, sorrisos, verdade, consciência, trabalho... na voz desta canção. Por isso, fui procurá-la. Até porque o intérprete não consta da lista dos meus preferidos. E voltei a ver lágrimas no rosto emocionado das hoje mulheres, outrora meninas. Admirável ter memórias! Porque o segredo é amar... Pour Toutatis!

 
Earth Song

What about sunrise
What about rain
What about all the things
That you said we were to gain...
What about killing fields
Is there a time
What about all the things
That you said was yours and mine...
Did you ever stop to notice
All the blood we've shed before
Did you ever stop to notice
The crying Earth the weeping shores?

What have we done to the world
Look what we've done
What about all the peace
That you pledge your only son...
What about flowering fields
Is there a time
What about all the dreams
That you said was yours and mine...
Did you ever stop to notice
All the children dead from war
Did you ever stop to notice
The crying Earth the weeping shores
(...)

 

MICHAEL JACKSON

Estou: Admirada!

3 comentários:
De GMV a 11 de Maio de 2008 às 12:30

So, my dearest friend, let's never stop to notice! You are an amazing human being, only because you are always ADMIRADA. (leia-se atenta, leia-se saudosista, leia-se cheia de esperança)
Bom Domingo.


De Paola a 11 de Maio de 2008 às 13:07
É num momento como este que fico furiosa pela minha incompetência na língua de Shakespeare... E é em português, língua enorme e grandiosa, que te digo: obrigada!


De Ana a 11 de Maio de 2008 às 21:37
A Terra é a nossa casa.
Todos nós temos o dever de cuidar bem deste planeta que começa a não ser Azul. Há que unir esforços. É na união, com os que gostamos e com os que não preferimos, que reside a resolução.
Eu faço o meu trabalho de união, tu também e muitos outros habitantes deste planeta também. O pior são todos os grupos não colaborantes: especuladores, vendedores de guerra e aproveitadores de uma casa mal arrumada, suja e sem comida.
"O Segredo é amar", amar o planeta e a humanidade. E será que a união, que eu defendo, vem desse amor?

Bjos gordos


Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

Gostaria de saber se vcs mandar mudas de margarida...
A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Em destaque no SAPO Blogs
pub