Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ponto de admiração

ponto de admiração

05
Ago08

passear

Paola

danos na coisa pública

 

 

Passear no parque equivale ao passeio domingueiro no jardim. Só que parque soava melhor aos meus ouvidos de menina soalheira. A palavra jardim é um vocábulo perfumado. Com muitas cores. Com borboletas a esvoaçar. E abelhas porque o fabrico do mel é uma canseira. Sempre de um lado para o outro à procura de paladares. Tanto que elas se cansam. Fazem piqueniques de néctar. E polinizam flores de cores cinzentas e enfadonhas. Também as beldades cheirosas. Por vezes com pesticidas perversos. E o problema está na contaminação. E a rainha, coitada! Ali fica prostrada e preocupada com a procriação. E tem lago. Uns com peixinhos vermelhos. Também já os vi com patinhos. E cágados envergonhados que se encurralam na carapaça num ápice. Jardim é verde. Muitos verdes. E com um Sol no fim.

 

Parque é um termo robusto. Porque fechado. Murado. Lá dentro avisto baloiços e escorregas. Montanhas russas com comboios fantasma. Monstros e fadas. E tiro à lata com bolas de trapo. Parque é diversão. Alguns também são verdes. O verde que as árvores têm e as plantas também. E a relva.

 

E perco-me nesta grandiosa confusão de gostos, opiniões, factos e palavras, porque as palavras são o que são. Saem dos dicionários e agarram os sentidos das pessoas. Às vezes, não chegam para todas as sensações. É por isso que os sinónimos são precisos. Também os antónimos. Mas isso é quando elas são contraditórias e não bastam para dizer o que cada um quer dizer. Ali, naquele instante. Ao contrário. Isto de estar sempre de acordo é uma maçada. E as palavras, que são astutas, sabem-no muito bem. Bailam connosco e depois fogem. E fica-se sem forma de verbalizar a movimentação do pensamento.

 

Hoje fui ao jardim. Que, felizmente, se chama jardim. Tem verde nas árvores e nas plantas que nas pontas têm flores pintadas e perfumadas. E um lago com peixinhos mortos. E outro lago sem pato. Não gostei. Claro que não gostei que tivessem esmurrado o jardim. De que morreram os peixes? Maré negra não foi com toda a certeza. A flora está lá e os sinos não tocaram a rebate. Detestei que o pato tivesse desaparecido. E que a casota que lhe serviu de abrigo esteja inteiramente ao dispor da bicharada que voa por ali. Será que o levaram por distracção? Desgraçadamente…

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub