Segunda-feira, 13 de Outubro de 2008

esgaravatar

de Paola, galinheiro

 

Esgravatar é um verbo necessário. Se não o fosse, nem existiria. Essa coisa de se pensar que não fica bem e tal, não se justifica. Que esgaravatar é próprio das galinhas, não me convence. Os pobres galináceos têm objectivos individuais a perseguir. Por isso, a passam o dia a esgravatar e a comer tudo o que encontram. Quer se trate de minhocas, sementes e frutos e migalhas. Não me parece nada bem é que se contentem com migalhas. Paciência, isso é com elas. Até o galo esgravata. E é um senhor! Canta é muito melhor, logo pela manhã.

 

Esgaravatei para nascer, e que trabalhão dei à minha rica mãezinha, continuei pela vida fora, que já vai longa, e continuo a fazê-lo. Mas não sou galinha. Apesar de cacarejar de vez em quando.

 

Esgravato para remexer a terra. E que perfume ela tem! Para atiçar o lume. Com tenaz, que não me quero queimar. Às vezes queimo. Esgaravato nas gavetas. Só quando não me lembro onde enfiei as meias pretas. As outras sei, porque nem as comprei.

 

Esgaravato o fundo do tacho. Sabe tão bem! E esgaravato perguntas e respostas para mim. Também para eles. E gosto tanto! E esgaravatar confunde-se com saber e aprender. Pesquisar e perguntar. Solucionar e responder. Pensar e relacionar. Ai, que prazer! Esgaravatar nos livros. Bicar as palavras. Debicar as frases e transportá-las no bico para mais tarde saborear. E esgaravatar soluções. Esgaravato porque não sei. Porque vivo e canto incertezas.

 

Esgravatar soa a arcaísmo. A estrangeirismo. Ai, o que é isso, professora. Que palavra tão ruim. Deixe lá! Já ninguém fala assim. Eu continuei a esgravatar naquelas cabecitas nuas de vocabulário. Despidas de empenho linguístico. Se as galinhas é que esgaravatam, a metáfora e a conotação são de nula importância. E concluem que a denotação é que sim. O dicionário faz a decifração. Sem bem entender que o problema não está no verbo, porém na acção.

 

É minha convicção que, cada vez mais, se esgaravata menos. Ou já se compra feito e empacotado, de preferência numa lata com abertura fácil, ou não resulta. É que esgaravatar dá mesmo trabalho. Outro verbo que eles não gostam de praticar. Nem, como as galinhas, esgaravatam para comer. Apenas porque não têm fome de saber. 

No que me diz respeito, vou continuar a esgaravatar ou esgravatar que dá no mesmo. Sobretudo por mim. Só porque gosto de lhes dizer que decorar não é sinónimo de esgaravatar. E que se deve esgravatar todos os dias.

 


Escrito por Paola às 17:55
Link do post | Adicionar aos favoritos
De Utopia das Palavras a 15 de Outubro de 2008 às 14:08
Esgravatando tem outro sabor
Encontrar por si só, é redutor!

Admirável a tua prosa. è bom conhecer-te melhor

Beijos
Ausenda


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Bela e feliz noite de Natal Bonita
Pena que um piropo teu...não seja um bom diaaqui ...