Domingo, 7 de Dezembro de 2008

ser

encontro pessoal

 

 

Virtual é um adjectivo que se diz na possibilidade. E a hipótese não existe. Cambaleia num se apinhado de condições. Tão-somente uma faculdade. Sem exercício verdadeiro. Sem efeito efectivo.

 
Virtual é um adjectivo que edifica imagens. E os rostos não existem. Surgem desfocados por prolongamentos imaginados. São construções de areia desmoronados pelo ritmo das marés. Silhuetas desenhadas a carvão na opacidade da configuração. Representação abstracta da relação.
 
Virtual não é fantasia sempre que a realidade se abraça à verdade e a beija com seriedade. É certeza sempre que as palavras não inventam figuras vãs. Por isso, olhei para ti e vi-te. Afinal, tinhas rosto para mim… não te inventei. E as palavras disseram-nos com a mesma franqueza com que colorimos os dias virtuais. Leais como o bote agonizante no rio. Lembras-te?
 
Virtual não é mentira sempre que ser diferente é bom. Eu vi o brilho orgulhoso dos teus olhos… ouvi a harmonia nortenha da tua voz. Descobri-te no vermelho que te ornava. Viste como não me enganei?
 
Os antigos filósofos acreditavam que apenas era verdade o que poderia ser visto, provou-se, no entanto, que não estavam certos. Mas eu, que não percebo nada de Filosofia, dou-lhes razão…
 
Tanto que gostei de vos ter verdade! SóniaJorge… vemo-nos por aqui!

 


12 comentários:
De Jorge Soares a 8 de Dezembro de 2008 às 00:20
Foi uma bonita surpresa.. porque não estava à espera.. e foi um enorme prazer....

De resto, como sempre, o teu texto diz tudo.

beijinho
Jorge


De Paola a 8 de Dezembro de 2008 às 00:46
Oi,

Eu adorei! A Sónia nem dá notícia, tão ocupada que anda...

Beijinhos

Este é para o N.


De ide!as a 8 de Dezembro de 2008 às 19:48
O que pode ser visto é real; quase sempre!
O que não pode ser visto; é muitas vezes uma realidade.
Bjs.


De Paola a 8 de Dezembro de 2008 às 20:24
Foi mais menos assim que tudo aconteceu... eles existiam, eram uma realidade, mas eu nunca os tinha visto... Agora que os conheci, não duvido da sua existência...

Beijinhos


De GMV a 8 de Dezembro de 2008 às 20:51
E que bom que é existir... e ser verdade... e ver brilhos no olhar... e comprar livros... e escrever em blogues... que bom.

Beijos meus


De Paola a 8 de Dezembro de 2008 às 21:11
É tudo isso, mais os corvos de Lisboa que brilham no teu olhar!

Jinhos



De jabeiteslp a 8 de Dezembro de 2008 às 22:57

e é como se fosse para mim
e assim
é bom escrever
gosto de blogs por ser
o mais difernte no bom de viver ...

joca da Covilhã


De Paola a 8 de Dezembro de 2008 às 23:00
É mesmo bom ser diferente... É na diferença que está a verdade de cada um de nós...

Beijinho


De jabeiteslp a 8 de Dezembro de 2008 às 23:10


flor para nós


joca


De Paola a 8 de Dezembro de 2008 às 23:41


De Sónia Pessoa a 14 de Dezembro de 2008 às 13:17
Paola… digo, sem correr riscos de me enganar, que este foi o texto mais belo que alguma vez li neste mundo virtual. Talvez porque sou personagem desta história, personagem real, não virtual. Seja como fôr, obrigada pelas palavras, deste um novo sentido à palavra amizade, aquela que sem credos, crenças, preconceitos, nasceu de palavras e de um abraço sentido. O brilho que viste nos meus olhos foi o brilho de um sonho concretizado. Este foi um dos dia mais felizes da minha vida e em muito vocês, tu, contribuiram para isso. Obrigada!


De Paola a 14 de Dezembro de 2008 às 14:01
Sónia,

Já te disse como gostei de te ver verdade apertada num abraço, num beijo, num olhar... Vi-te na televisão, mas já não teve o mesmo sabor.

Fico à espera de mais.

Beijinhos




Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

Gostaria de saber se vcs mandar mudas de margarida...
A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Em destaque no SAPO Blogs
pub