Quinta-feira, 5 de Março de 2009

ambicionar

a terra e o céu

 

 

No jardim, todas as flores desabrocham ciclos de rejuvenescimento infinito. Rejubilam alegria e exalam perfumes doirados. Exclua-se uma desta história sem boninas, nem famas. Uma pequena flor amarela-murcha-de-mágoa, cansada de florir pela manhã.

 
Todas as noites, sem que nenhuma outra lhe enxergue as pétalas cor-de-lágrima-claro, observa uma estrelinha que tremeluz na escuridão do firmamento. Cobiça-lhe o fulgor. Quer ser luz, subir ao céu, ser estrela-cadente, ilusão, guia… Ser sorriso, prata líquida a gotejar bem perto da Lua.
 
A estrelinha miudinha desce pelas escadas do céu, apesar das dificuldades em prendê-la aos cabelos da Lua, chega ao jardim, afaga a flor e manda-a subir.
 
Dormita a estrelinha, no aconchego dos lençóis de jasmim, quando percebe um queixume. Olha para o alto e logo avista a angustiada flor que chora convulsivamente. Espreguiça-se, puxa as escadas que gemem a cada passada, sobe e apeia-se no céu. Acaricia a flor e ordena-lhe a descida.
 
A florzinha bate à porta do jardim, acomoda-se no canteiro e, por tanto se envergonhar, re-planta-se a dormir.  A estrelinha persiste no seu jovial bruxuleado.
 
Restaurada a posição, ainda estou a matutar no absurdo da intenção… e na minha rica mãezinha que me azucrinava os ouvidos com a história dos macacos… explicava ela que havia um galho para cada um... Se havia, ainda deve haver! E quem está mal, já não se muda? Nunca me respondeu… Tão determinista, a minha mãe!
 
 

flores na árvore

fotografia de Paola

 

tags: ,

4 comentários:
De Sónia Pessoa a 5 de Março de 2009 às 21:55
Ora pois, cá ando eu, em quintais alheios, amigos do peito, distraindo as horas que teimam em não passar quando estamos de pé ao alto!... pouco poético este meu comentário, acho até que um pouco delirante... passei, amiga, para te deixar aquele miminho. Beijos gordos


De Paola a 5 de Março de 2009 às 22:06
Até te estou a ver... a saltar o quintal a pé-coxinho! Obrigada pelo miminho... e pelo "esforço" que fizeste!!!!! [eh..eh..eh..]

As melhoras, rapariga.

Beijinhos


De GMV a 5 de Março de 2009 às 22:11
Fiquei sem saber se queria ser flor... se queria ser estrela. Quanto ao galho, acredito que cada um tem o seu, sim. [o meu, um dia destes, verga!]

Beijos, querida Paola.


De Paola a 5 de Março de 2009 às 22:27
Tu és flor_______ Tu és estrela_____ Tu és tu!!! Galho________Vergará exausto de prazer_____ por te ter_____________________________________


Beijo abraçado.



Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

Gostaria de saber se vcs mandar mudas de margarida...
A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Em destaque no SAPO Blogs
pub