Quarta-feira, 25 de Março de 2009

esverdear

Gosto de estender o meu olhar pelo verde. Trepar às árvores. Agarrar as folhas e rebolar no chão esmeralda-matizado. Mas o que eu gosto mesmo é de olhar… perceber a pequenez dos meus olhos e esfregá-los de espanto verde-claro. Cair redondamente no horizonte e acreditar que há mais. Que o verde continua o lado de lá. Perder-me no seu silêncio e deleitar-me com o cheiro a alecrim. Ai, as mimosas! Distraio-me no amarelo da carqueja e confundo-as com o Sol! Mesclam-se as cores, misturam-se os perfumes, fundem-se os bem-me-queres.

Há pouco, vi o verde. E era tanto, tanto, tanto! Há pouco, vi flores para te dar… e comecei a duvidar que o verde seja uma cor.

A cor do verde amanheceu. Fez-se azul-céu de passados esverdeados. Depois, pintou-se de verde-mar e eu naveguei por um oceano que logo se amansou… andei pela alameda de espuma, viajei na ponta das ondas e perdi-me na busca de mim. Achei reflexos dos meus pensamentos… As flores não as colhi. Arrependi-me do repentino impulso... 


[imagem da internet]


 


10 comentários:
De Jorge Soares a 25 de Março de 2009 às 23:39
Gosto de estender o meu olhar pelo branco destas letras que nos deixam sempre com vontade de mais... gosto de ficar por aqui e deixar fluir os meus sentidos pelas palavras, deixar-me levar pelos sons.....

Gosto de cá vir.... e esquecer o tempo... gosto!



De Paola a 26 de Março de 2009 às 18:03
És um querido, Jorge. [Ai, a P...] Também eu gosto muito de te ter aqui.

Beijinhos


De GMV a 26 de Março de 2009 às 00:18
Sem querer repetir o Jorge, eu também gosto de cá vir... ler-te, saborear os tons que dás às palavras, ouvir a música que perpassa de cada texto teu. [E já posso ir dormir :)]

Beijos meus


De Paola a 26 de Março de 2009 às 18:05
Ai, minha amiga, o esverdear que é nosso... que nos está no coração...

Beijo abraçado


De GMV a 26 de Março de 2009 às 00:19
[não sem antes te deixar uma flor]



De Paola a 26 de Março de 2009 às 18:06
Esquecimento imperdoável... o verde da flor...

Beijo abraçado.


De jabeiteslp a 27 de Março de 2009 às 17:48

e eu deixo uma flor
que das saudades
da tua escrita
te desejo um bom e grande fim de semana

beijinhos



De Paola a 27 de Março de 2009 às 19:47
Recebi a flor... abandonada pelos anjos...

Beijinho


De jabeiteslp a 29 de Março de 2009 às 18:14
parece...

beijinho


De Paola a 29 de Março de 2009 às 18:23
Já nada é como era...

Beijo


Comentar post

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

Ontem [Como se fosse já]

Desacerto [desabafo de um...

A outra margem [restauro ...

Oportunidade

Palavras pequeninas [E cr...

O rio

Sardinheiras

No lado contrário

Gola de laço

A conversa das canções [a...

Convento de Jesus [no tem...

Água do rio

Pelo caminho [as cegonhas...

No tacho [da minha infân...

Memória

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

Gostaria de saber se vcs mandar mudas de margarida...
A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Em destaque no SAPO Blogs
pub