Domingo, 19 de Outubro de 2008

quitter

Porque hoje é domingo, deixo-vos um poema ensanguentado, numa voz que morde a mágoa de um amor perdido. A música chora arrebatadamente como se não houvesse amanhã e as palavras suam, gesticulam, dançam e trepam para agarrar o tempo perdido... E tudo pára, escuta e olha. Jacques Brel entrega-se num acto de amor. Apaixonadamente! Com a alma despida, percorre caminhos e tacteia o corpo que não está ali, mas que ele sente. Admirável interpretação!

 

Provavelmente a melhor canção de amor...talvez... en français c'est encore mieux!

 

 


 
Ne me quitte pas, Jacques Brel
 

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. [Fernando Pessoa]

pontos recentes

quitter

RSS

outros pontos

Admiro-me... só por olhar!

Pesquisar neste blog

 

Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SAPO Blogs

últimos comentários

Gostaria de saber se vcs mandar mudas de margarida...
A "fonte" é dada a narrativas extraordinárias...
Pois é...
Sabes uma coisa "pequenina"? Continuas a escrever ...
Por vezes, é assim...
Escrita poética Gostei.
Pois, sabe bem ler as tuas palavras... saudade.
Que lindo!! Como sempre, uma escrita deliciosa...U...
Em destaque no SAPO Blogs
pub